Share on Facebook
Share on Twitter
Share on Google+
Share on LinkedIn
+

Compartilho com vocês o texto da orelha, por Alexandre Brandão, do meu livro de contos Vícios ocultos, que alguns resenhistas estão lendo e comentando.

“‘Vícios ocultos’ tem tudo de uma boa ficção. Miriam Mambrini conta história como ninguém. O tempo impresso em suas narrativas, com avanços e paradas planejadas, torna prazerosa a leitura. Sua temática, arraigada no mais recôndito do ser humano, apesar de dura, ainda que irônica e às vezes engraçada, não vem embalada em moralismo, ditada como receita de superação, tampouco presa a pessimismo de grau algum. Seu livro nos lança em campo minado, e, mesmo sabendo possível ferir-nos, deixamo-nos levar como se deixam os viciados.

Além de Miriam Mambrini nos contar bem suas histórias de excessos, acrescenta a este livro um pequeno detalhe cujo efeito surpreende: ela registra diversos diálogos travados com escritores de sua relação, entre os quais figuram João Silvério Trevisan, Nilma Lacerda, Luis Ruffato e Adriana Lisboa. A cada uma dessas pessoas Miriam enviou um conto junto com o pedido de uma epígrafe. Como resposta, recebeu escritos exclusivamente para o livro ou excertos das obras de seus parceiros.

A coletânea traz 13 contos. Todos giram no espaço onde se encorpam os vícios que consomem homens e mulheres. ‘O que Freud sabe de brincos?’, ‘Os dados’ e ‘Freio nos dentes’ entram na categoria dos contos com pedigree, que, por isso mesmo, serão relembrados por todos os seus leitores (…).”


Alexandre Brandão
trecho da orelha de Vícios ocultos

Veja outros comentários:
. de Alexandre Kovacs, no Mundo de K: miriammambrini.com/2016/02/vicios-ocultos-miriam-mambrini/
. de Bruna Kalil Othero, na Obvious: miriammambrini.com/2016/03/o-exposto-e-o-oculto-nos-vicios-de-miriam-mambrini/

Visite a Fan page! facebook.com/ViciosOcultosLivro
E o Instagram! instagram.com/viciosocultos/

Share on Facebook
Share on Twitter
Share on Google+
Share on LinkedIn
+

Author Miriam Mambrini

Miriam Mambrini é carioca e formada em Letras. Seu primeiro livro de contos, O Baile Das Feias, foi publicado em 1994. Nesse livro e no que se seguiu, Grandes Peixes Vorazes, incluiu contos premiados em vários concursos. Escreveu os romances A Outra Metade, atualmente em segunda edição, As Pedras Não Morrem E O Crime Mais Cruel, os dois últimos adquiridos pelo PNDE do Ministério da Educação. As crônicas de Maria Quitéria, 32 falam de sua vida de menina em Ipanema, o bairro onde nasceu e sempre viveu. Publicou ainda, em livro e audiolivro, Vícios Ocultos, contos, e Ninguém É Feliz No Paraíso, romance. Seus contos foram incluídos em várias antologias, entre as quais 30 Mulheres Que Estão Fazendo A Literatura Brasileira Hoje, seleção de Luiz Ruffato (Record) e Contos De Escritoras Brasileiras (Martins Fontes). Faz parte do grupo Estilingues, que publica antologias de contos fora do circuito comercial. Colaborou, com contos e artigos, em jornais e revistas, nacionais e estrangeiras, entre as quais a italiana Sagarana, a inglesa Litro, a espanhola 2384 e a brasileira Pessoa.

More posts by Miriam Mambrini

Leave a Reply